O advogado Ricardo Sá Fernandes, que tinha ficado em terceiro lugar no círculo eleitoral do Porto nas primárias da plataforma Livre/Tempo de Avançar para as legislativas de setembro/outubro, vai afinal ser cabeça de lista. A recontagem dos votos que foi feita, devido a irregularidades, ditou esta mudança. 

"Após publicação dos resultados provisórios do processo de eleições primárias abertas, realizadas a 20 e 21 de junho passado, para eleição e ordenação dos candidatos a deputados da candidatura cidadã Livre/Tempo de Avançar, foram presentes à comissão eleitoral reclamações relativas a alguns casos de eventuais irregularidades", lê-se em comunicado.

Segundo os responsáveis, houve recurso para a comissão de ética e arbitragem e procedeu-se à "recontagem dos votos no círculo eleitoral do Porto e à correspondente reordenação dos candidatos, dos quais os seis primeiros passam a ser os seguintes: Ricardo Sá Fernandes, Diana Barbosa, Jorge Morais, Mariana Topa, Rui Feijó e Manuela Juncal", cita a Lusa.

O solicitador Daniel Mota tinha sido anunciado como o vencedor no sufrágio e não figura agora sequer nas seis primeiras posições.

Em Lisboa, o fundador do partido Livre Rui Tavares foi eleito cabeça de lista, sendo a n.º2 a dirigente da Associação Fórum Manifesto Ana Drago e o terceiro mais votado o economista José Castro Caldas.

A médica e ativista Isabel do Carmo será a n.º1 em Setúbal, enquanto a primeira posição em Coimbra coube ao docente universitário José Reis.

A candidatura cidadã Livre/Tempo de Avançar vai estrear-se em eleições legislativas depois de o partido isoladamente ter conseguido 2,18% (71.602) dos votos nas europeias de 2014, menos de um ano após a sua fundação - o quinto lugar, embora face às coligações PSD/CDS-PP e CDU.