O secretário de Estado da Administração Local contrariou esta sexta-feira a ideia que o programa «Aproximar», que visa a reorganização dos serviços do Estado, é um programa de cortes e afastamento.

«É preciso contrariar a ideia que se trata de um programa de cortes e de afastamento, é exatamente o contrário, é um programa de aproximação dos cidadãos», afirmou o secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro, no briefing do Governo com os jornalistas, que durante o mês de agosto se realiza às terças e sextas-feiras.

Sublinhando que todo o Estado tem de reorganizar os seus recursos, Leitão Amaro defendeu o aproveitamento das novas tecnologias para «levar o Estado para mais perto dos cidadãos, com menos custos para os contribuintes e resolvendo tão bem ou melhor as suas necessidades».

«Podemos levar o Estado a pontos onde não estava presente», referiu, aludindo ao caso de pequenas vila ou mesmo aldeias.

Pois, frisou, o mais importante não é existir uma repartição de finanças e um balcão da segurança social na mesma rua, porque os serviços podem estar concentrados eventualmente sob gestão autárquica, estando «tão ou ainda mais próximos dos cidadãos».

Segundo o Governo, no âmbito do programa «Aproximar», pretende-se trabalhar no sentido da progressiva transferência de atribuições e de competências do Estado para os municípios, escreve a Lusa.