O Bloco de Esquerda (BE) admitiu este sábado recorrer hierarquicamente do arquivamento da queixa-crime contra Rui Machete. Em causa, estão as acusações de que o atual ministro dos Negócios Estrangeiros teria «mentido» ao Parlamento relativamente ao caso BPN. O dirigente do BE, João Semedo, mostrou-se indignado e considera «bizarro» que o Ministério Público «absolva o infrator, invocando a própria infração», afirmou à Lusa.

A Procuradoria-Geral da República arquivou a queixa-crime dos bloquistas contra Rui Machete com a justificação de que, por ter faltado à verdade, não é possível saber se as declarações que omitiu seriam relevantes para o processo. O Bloco admite que «efetivamente, o ministro Rui Machete, quando foi inquirido na comissão de inquérito ao caso BPN, mentiu, faltou à verdade». Machete negou ter sido acionista do Banco Português de Negócios.

Por ter «muitas reservas» e discordar do sentido do despacho, João Semedo afirma que «possivelmente» irá recorrer hierarquicamente.