Portugal condena "veementemente" o novo teste nuclear feito pela Coreia do Norte, desta vez com a "Bomba H" e pede um "diálogo sério" de Pyongyang com a comunidade internacional.

[O teste] constitui mais uma flagrante e inaceitável violação das obrigações definidas em diversas Resoluções do Conselho de Segurança da ONU e compromete a segurança regional e internacional".

Numa nota enviada à comunicação social, o ministério dos Negócios Estrangeiros reitera o "empenho" do Governo português "no rigoroso cumprimento das sanções unanimemente impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas e pela União Europeia à República Popular Democrática da Coreia.

[O Governo] exorta novamente a República Popular Democrática da Coreia a retomar um diálogo sério com a comunidade internacional, no sentido de um abandono completo, verificável e irreversível dos seus programas balístico e nuclear, que desafiam os regimes internacionais de não proliferação e desarmamento, colocando em risco a paz e a estabilidade regionais e mundiais".

Hoje foi notícia que as forças armadas de Seul acreditam que a Coreia do Norte está a preparar o lançamento de um novo míssil balístico.

O presidente do Conselho Europeu diz que a UE está pronta para endurecer as sanções. Os Estados Unidos querem um embargo total à Coreia do Norte, algo que é condenado pela China.