Catarina Martins demorou quase uma hora para fazer um percurso que normalmente se faz em cinco minutos. Queriam falar com ela, beijá-la, abraçá-la, tirar fotografias. O aparato era enorme. "Queremos mais Catarinas no parlamento", " A nossa menina vai mandar o PSD para o galheiro", gritava-se entre a multidão.

A um dado momento uma idosa comentou com outro popular: "Já viste que toda a gente gosta dela?". Ali, no Porto, foi mesmo isto. Toda a gente gostava da cabeça de lista pelo distrito do Porto.

Catarina Martins recebeu o apoio de forma calorosa, sublinhando "o reconhecimento das pessoas", das "pesssoas que não desistiram do país e da democracia".

Em relação ao Porto, onde é cabeça de lista, e o partido perdeu um terceiro deputado em 2011, Catarina Martins mostrou-se confiante  num bom resultado.

"Queremos um grupo parlamentar forte. Estão a ver como eu o apoio que temos."

A acompanhar a candidata às legislativas, na caravana, estiveram o ex-coordenador do Bloco João Semedo, o ator António Capelo, a candidata a deputada Mariana Mortágua e a eurodeputada Marisa Matias. Depois, já perto do final da arruada, chegou Francisco Louçã, o ex-líder do partido, o homem que lhe passou o testemunho. Louçã sublinhou a importância de Catarina neste novo fôlego do Bloco.

"Esta receção no Porto confirma inteiramente a enorme capacidade de convocação que o Bloco de Esquerda hoje teve. [...] Num mundo de cinismo e indiferença, ela [Catarina Martins] trouxe capacidade de comunicar, o entusiasmo  trouxe alegria e sobretudo trouxe profundidade seiredade e consistencia e acho que isso faz hoje a diferença em Portugal."