O Bloco de Esquerda considerou sem surpresa a decisão maioritária tomada pela Associação de Fórum Manifesto no sentido de se desvincular dos bloquistas e defendeu que o «impulso para dividir» prejudica a esquerda.

Esta posição consta de uma curta nota enviada à comunicação social, depois de o Fórum Manifesto, corrente fundada por Miguel Portas e à qual pertence a ex-deputada Ana Drago, ter decidido, em assembleia geral, por larga maioria, desvincular-se do Bloco de Esquerda e contribuir para «novas plataformas políticas abrangentes».

Perante esta rutura, o Bloco de Esquerda refere que «anteriores posições de alguns dos membros do Fórum Manifesto já anunciavam a decisão hoje tomada».

«O Bloco continuará empenhado em juntar forças, convicto que o impulso para dividir não reforça a esquerda», acrescenta a nota dos bloquistas.

Três dos principais fundadores da Associação Fórum Manifesto (que se formou a partir da Política XXI), José Manuel Pureza, José Guilherme Gusmão e Marisa Matias saíram desta corrente na sequência das eleições legislativas de 2011, tendo fundado a Tendência Socialismo.

José Manuel Pureza, José Guilherme Gusmão e a eurodeputada Marisa Matias, como tal, já não fizeram parte da decisão de rutura agora tomada e continuarão em cargos de direção no Bloco de Esquerda.