O fundador do Bloco de Esquerda (BE) Fernando Rosas disse hoje que a União Europeia (UE) passou, em trinta anos, de esperança a "pesadelo imperial" contra fracos e pobres, noticia a Lusa.

"A UE faliu. Da esperança que foi há uns 30 anos, tornou-se num pesadelo imperial contra os mais fracos e mais pobres. Dela só sobram a livre circulação de capitais, especulação financeira, autoritarismo democrático", advogou o bloquista, numa intervenção na X Convenção do partido, que decorre entre hoje e domingo em Lisboa.

Referindo-se ao referendo no Reino Unido onde venceu o abandono britânico da UE, Rosas disse que o povo britânico tem razão e que "não há que chorar" uma União do"neoliberalismo, das ‘troikas', do desemprego, do acordo infame com a Turquia, das sanções, da austeridade, do euro, do autoritarismo, do espezinhar da soberania e democracia".

Também o dirigente bloquista João Teixeira Lopes abordou na sua intervenção na reunião magna bloquista o que disse ser o "embuste e farsa" em que se tornou o projeto europeu.

Nesse sentido, "a posição do Bloco é clara", e passa por "esticar a corda" na defesa dos cidadãos e dos seus direitos.

Já Helena Pinto, ex-deputada e dirigente que preside aos trabalhos da X Convenção, abordou as autárquicas de 2017 e pediu mais "transparência na política local" e um "novo centro político às políticas locais", com o reforço do BE nesse capítulo.

"O Bloco não faltará à chamada" no sufrágio do próximo ano e também nas eleições regionais deste ano nos Açores, frisou.