O líder parlamentar do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, saudou a eleição do socialista Eduardo Ferro Rodrigues para o cargo de presidente da Assembleia da República, e afirmou que "em democracia mandam os votos, e não as tradições".

Pedro Filipe Soares assumiu esta posição depois de o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, ter apontado a eleição de Ferro Rodrigues como uma quebra da tradição, segundo a qual o presidente da Assembleia da República tem sido indicado pela maior bancada.

O líder parlamentar do BE considerou que Ferro Rodrigues "estará à altura dos pergaminhos" do cargo para o qual foi eleito, prometendo-lhe "toda a lealdade institucional".

"Em democracia mandam os votos, e não as tradições. Não há nenhuma destas estátuas que seja dedicada às tradições parlamentares."

No mesmo sentido da intervenção feita por Ferro Rodrigues após ser eleito, na qual defendeu não haver "deputados de primeira e segunda" nem "coligações aceitáveis e outras banidas", Pedro Filipe Soares declarou que "todos os votos valem o mesmo, não há votos de primeira e votos de segunda", numa crítica ao discurso de quinta-feira do Presidente da República.

Segundo o deputado bloquista, se alguma regra foi quebrada, foi por Cavaco Silva, que na sua comunicação ao país afastou um Governo dependente "do apoio de forças políticas antieuropeístas, isto é, de forças políticas que, nos programas eleitorais com que se apresentaram ao povo português, defendem a revogação do Tratado de Lisboa, do Tratado Orçamental, da União Bancária e do Pacto de Estabilidade e Crescimento, assim como o desmantelamento da União Bancária e Monetária e a saúda de Portugal do euro, para além da dissolução da NATO".

De acordo com Pedro Filipe Soares, o chefe de Estado considerou "que, afinal, havia votos de primeira e votos de segunda", posição que o BE não aceita.