Catarina Martins diz que a notícia sobre a devolução de 33,3% da sobretaxa do IRS "é falsa". A porta-voz do Bloco de Esquerda sublinhou que os dados da execução orçamental, no que toca aos impostos, estão a ser "inflacionados" pelos atrasos nos reembolsos do IVA e acusou a coligação de "instrumentalizar a máquina do Estado". 

"Os dados da execuçao orçamental, no que diz respeito às receitas de impostos, estão inflacionados pelos reembolsos de IVA que não estão a ser feitos às empresas, ou seja o Estado tem atrasado os reembolsos de IVA."


Mesmo que a notícia fosse verdadeira, seria "eleitoralismo" e um "número de propaganda política" a poucos dias das eleições, sublinhou. "Como é falsa, é falta de vergonha na cara por parte de Pedro Passos Coelho."
 
Catarina Martins disse, durante uma arruada em Olhão, que é "triste" que, a poucos dias das eleições, a coligação de direita "instrumentalize a máquina do Estado para a sua propaganda eleitoral".  Isso e "criar expetativas na pesssoas"

A porta-voz do Bloco também criticou o facto de a medida estar a ser anunciada como uma "devolução", vincando que se trata de um "ajuste de contas". Um ajuste depois de o Executivo ter aplicado "um imposto a mais" aos contribuintes. 

"Está a ser anunciada  como uma medida de devolução quando não estamos a falar de devolução. Cobraram um imposto a mais às pessoas. Nao é nenhuma borla que vão ter, o problema é que pagaram a mais e vão ter um ajuste de contas."


Mais, a candidata às legislativas reiterou que a execução orçamental não apresenta " nenhuma folga no orçamento" mas "um descontrolo das contas públicas".

"Por outro lado, porque o descontrolo das contas públicas, com o défice como o conhecemos no primeiro semestre de 2015, dizem-nos que, de facto, não há nenhuma folga no orçamento. Há é descontrolo das contas públicas."