O Bloco de Esquerda (BE) questionou esta terça-feira o Governo sobre a falta de médicos no centro de saúde de Miranda do Corvo e alega que a unidade se encontra em risco de reduzir o horário de atendimento.

Na pergunta dirigida ao ministério da Saúde, os deputados João Semedo e Helena Pinto alegam que aquele centro de saúde e as cinco extensões nele incluídas, que servem uma população residente de mais de 13 mil pessoas, «encontra-se em risco de reduzir o horário de atendimento, passando a encerrar às 20:00 em vez das atuais 22:00».

«O motivo subjacente a esta decisão prende-se com a falta de clínicos, visto que uma médica se aposentou não tendo ainda sido substituída. Por este motivo, cerca de 1.500 utentes estão também sem médico de família», referem os deputados do BE, classificando a situação como «altamente penalizadora».

No texto, pretendem saber se o Governo tem conhecimento da situação e que medidas estão a ser tomadas para que o centro de saúde continue a funcionar até às 22:00.

Os deputados bloquistas perguntam ainda se o funcionamento da unidade de saúde está assegurado ao fim de semana e em que horário, quantos médicos são necessários para que todos os utentes tenham médico de saúde e se foi aberto um concurso público para fazer face à falta de clínicos.

Os deputados do Bloco de Esquerda pretendem ainda ser esclarecidos, entre outros pontos, sobre qual deveria ser o quadro de pessoal - médicos, enfermeiros e assistentes operacionais - do centro de saúde de Miranda do Corvo, tendo em conta o número de utentes ali inscritos.