O Bloco de Esquerda (BE) desafiou hoje os restantes partidos para uma «tomada de posição conjunta» no Parlamento de modo a propor a «eliminação total do pagamento das subvenções vitalícias» no Orçamento do Estado (OE) para 2014.

A posição bloquista foi comunicada aos jornalistas pelo líder parlamentar do Bloco, Pedro Filipe Soares, que hoje enviou uma missiva sobre a matéria aos restantes líderes parlamentares.

«Pedimos aos grupos parlamentares que se juntem a nós», disse

o deputado do BE, que assinalou ainda que caso as restantes bancadas não acompanhem o partido na posição conjunta, o Bloco sozinho irá propor a eliminação total das subvenções.

«Não podemos aceitar que este regime de exceção continue», declarou ainda Pedro Filipe Soares, falando na «ética republicana» e em «famílias a quem têm sido pedidos tantos sacrifícios».

O Diário Económico avançou na quinta-feira que o Governo quer cortar 15% nas subvenções vitalícias dos ex-políticos, citando fonte governamental.

As subvenções vitalícias foram eliminadas em 2005, continuando a recebe-las quem tinha constituído esse direito anteriormente a essa data.

Posteriormente, deputados como Teresa Leal Coelho (PSD) ou João Almeida (CDS-PP) demonstraram ser a título pessoal favoráveis à eliminação total do pagamento das subvenções.

Na carta enviada aos restantes líderes parlamentares, Pedro Filipe Soares diz que «os princípios éticos no desempenho de cargos públicos não podem ficar sob qualquer suspeita».

«A resposta mais forte na afirmação desses princípios é eliminar totalmente as subvenções vitalícias. Este é o desafio que a todos é colocado. No período orçamental que inicia já na próxima semana, a AR pode e deve assumir uma posição inequívoca sobre essa matéria», escreve o bloquista na carta a que a agência Lusa teve acesso.