O coordenador do Bloco de Esquerda (BE) João Semedo acusou este domingo o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, de ter «lata, descaramento [e] falta de vergonha» ao comentar os dados da execução orçamental e confirmar a redução da despesa do Estado.

«Lata, descaramento, falta de vergonha, é isso que o primeiro-ministro tem para mostrar ao país», afirmou o bloquista durante uma ação do partido de apresentação dos candidatos do distrito do Porto.

Lembrando o discurso de Passos Coelho, que sábado em Sintra comentou os dados da execução orçamental, João Semedo afirmou: «Dizia ontem o primeiro-ministro que está muito empenhado em construir um país e uma sociedade em que o Estado deixe de extorquir dinheiro aos portugueses. Mas este governo tem feito alguma outra coisa que não tenha sido extorquir dinheiro aos portugueses?».

Para Semedo o «aumentou brutal dos impostos em 2013», o «corte dos salários e das pensões», o «aumento dos preços de todos os bens e serviços essenciais», foram «extorquir dinheiro aos portugueses».

«Como é que se pode aceitar tanta lata, tanto descaramento, tanta vergonha de um primeiro-ministro que fez o maior aumento de impostos de toda a história da democracia portuguesa?», perguntou Semedo.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou sábado que os novos dados da execução orçamental, divulgados na sexta-feira, confirmam a redução da despesa do Estado.

De acordo com a síntese de execução orçamental de julho, divulgada na sexta-feira pela Direção-Geral do Orçamento, o défice da administração central melhorou, até julho, cerca de 500 milhões de euros, embora os gastos com subsídios de desemprego tenham aumentado 10,5% e o défice das administrações públicas ultrapassado os cinco mil milhões de euros.