O Partido Socialista de Sintra anunciou hoje ter chegado a acordo para a atribuição de pelouros a vereadores eleitos pelo PSD e CDU para garantir «a governabilidade» da Câmara Municipal.

Em comunicado, o partido que venceu as eleições de 29 de setembro, refere que este acordo, que deixa de fora os eleitos pelo movimento independente Sintrenses com Marco Almeida, permite a estabilidade quer na Câmara quer na Assembleia Municipal de Sintra.

Com o acordo, o novo presidente da Câmara de Sintra, Basílio horta, junta aos quatro vereadores socialistas os dois eleitos pelo PSD e o da CDU, ficando com uma maioria absoluta no executivo: sete vereadores contra quatro da candidatura de Marco Almeida.

Contactado pela agência Lusa, o candidato da coligação PSD/CDS-PP, Pedro Pinto, que elegeu dois vereadores, disse que vai suspender o mandato e que, desta forma, estarão no executivo Luís Patrício e Paula Neves.

O também deputado e vice-presidente do PSD afirmou que este «é um bom acordo para Sintra», que fica com uma garantia de estabilidade, adiantando que, uma vez que não foi eleito presidente da Câmara não tem «razões para estar como vereador».

O único eleito da CDU, Pedro Ventura, afirmou à Lusa que, nesta fase em que ainda não estão definidos os pelouros, este acordo de governação da câmara «é importante» para a «defesa dos interesses da população de Sintra».

«A CDU aceita pelouros numa longa tradição de participação, com a nota de que está garantida a nossa independência politica, o que, de alguma forma, dá a garantia da manutenção da capacidade de intervenção consequente», disse.

A tomada de posse do novo executivo está agendada para hoje, às 17:00, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

O PS elegeu em Sintra quatro vereadores, os mesmos que o candidato independente Marco Almeida. O candidato dos socialistas, Basílio Horta, conquistou (com 26,8% dos votos) a câmara que era governada pelo social-democrata Fernando Seara, que teve Marco Almeida como vice-presidente nos três mandatos.

O cabeça-de-lista do movimento «Sintrenses com Marco Almeida» (que foi criado em rutura com o PSD, depois de o partido ter escolhido Pedro Pinto para cabeça-de-lista) ficou em segundo lugar, com 25,4%. O PSD, que apresentou Pedro Pinto, registou 13,8%, enquanto a CDU, com Pedro Ventura, ficou em quarto lugar, com 12,5%.