O PSD questionou o Governo sobre o cancelamento da barragem de Girabolhos e que pediram documentação sobre a reavaliação do Plano Nacional de Barragens (PNB).

No requerimento enviado ao ministro do Ambiente através da Assembleia da República, os deputados Carlos Peixoto, Ângela Guerra, Berta Cabral e Jorge Paulo Oliveira, solicitam, uma vez mais, a documentação da reavaliação do PNB, bem como todos os estudos, nomeadamente de natureza ambiental, económica e financeira, que sustentam a reavaliação em causa.

E, se outros motivos não subsistissem, o mero facto de os deputados do PSD terem solicitado há mais de um mês os documentos da reavaliação do PNB e demais estudos, que o Ministério [do Ambiente] ainda não forneceu e dá sinais de não querer fornecer, seriam mais do que suficientes para adensar as nossas dúvidas", referem no documento enviado à agência Lusa.

O Governo anunciou na segunda-feira o cancelamento da construção das barragens de Girabolhos, no rio Mondego, nos concelhos de Gouveia, Seia, Mangualde e Nelas, e do Alvito, no rio Tejo, que abrange os concelhos de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, enquanto a construção da barragem do Fridão, no rio Tâmega, no concelho de Amarante, foi suspensa por três anos.

Para os quatro deputados do PSD, a decisão "traduz-se num desinvestimento público no interior do país, que seria reprodutor de outros investimentos e potenciaria a criação de postos de trabalho na economia local e regional".

E traduz também um desinvestimento nas demais potencialidades do rio [Mondego], que não se prendem única e exclusivamente com a produção de energia elétrica", apontam.

Carlos Peixoto, Ângela Guerra, Berta Cabral e Jorge Paulo Oliveira perguntam também "que contrapartidas previstas para os municípios envolvidos pela construção foram agora acordadas, ou estão pensadas" e "quais em concreto".

"Pese embora a afirmação do senhor Ministro [do Ambiente] de que não haverá devolução de qualquer quantia, que outro tipo de contrapartidas de natureza não financeira foram acordadas e que se desconhecem?", acrescentam.

Os eleitos do PSD querem ainda saber do Governo se os processos de expropriação já concluídos, ou aqueles ainda em curso, ficaram devidamente acautelados.