O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, afirmou hoje que a escola de comunicações da NATO em Oeiras, cuja construção começará "em breve", vai assumir um "papel crucial" na construção da capacidade de `ciberdefesa´ da Aliança Atlântica.

Intervindo na sessão de abertura da 2.ª conferência NATO sobre "Ciberdefesa e os projetos `smart defense´", na Academia Militar, na Amadora, Azeredo Lopes referiu que Portugal assumirá um papel de liderança no projeto da NATO de desenvolvimento das capacidades de `ciberdefesa´ em particular nos domínios da qualificação.

"É um objetivo comum que a NATO e Portugal partilham, o de que a Academia [de Oeiras] assuma um papel crucial no desenvolvimento da capacidade de `ciberdefesa´ da NATO", em particular no domínio da educação, treino e qualificação de recursos humanos", afirmou Azeredo Lopes.

Em declarações à Lusa, o governante adiantou que a escola da NATO em Oeiras, com a designação Academia NCI, acrónimo inglês de "NATO Communications, Information and Cyber Academy", começará a ser construída "em breve" e que as verbas para o arranque das obras já foram desbloqueadas pela Aliança Atlântica.

Não escondo que tratando-se de investimentos importantes cada passo tem que ser dado com a devida razoabilidade e prudência mas é claramente uma opção política que resulta da prática e da perceção internacional sobre o carácter cada vez mais ameaçador da dimensão `ciber´", afirmou.

Quanto ao trabalho que Portugal tem feito neste domínio, Azeredo Lopes destacou ainda o programa "multinacional de educação e treino" em `ciberdefesa´ que visa estabelecer um "curriculum em `ciberdefesa´" e as bases conceptuais e doutrinárias da futura academia.

"Portugal tem esta abordagem mais virada para a formação e para o treino e já dá um contributo importante. O passo seguinte ao nível das duas principais organizações, a NATO e a União Europeia, é que haja uma alocação mais eficiente de recursos, cada vez mais "smart". Que o façamos de forma cada vez mais cooperativa, associando vários Estados a projetos comuns", disse.

De acordo com o ministério da Defesa, a NATO aprovou no passado mês de março o orçamento para a instalação da escola de comunicações de Oeiras, nas infraestruturas do Reduto Gomes Freire. A verba estimada para o projeto é de cerca de 25 milhões de euros e a construção de instalações iniciar-se-á em janeiro de 2017 e deverá estar concluída no primeiro semestre de 2018.