O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou condolências aos familiares das vítimas do voo da EgyptAir, que desapareceu na quinta-feira ao início da madrugada ao entrar no espaço aéreo egípcio, entre as quais um cidadão português.

“Tendo tomado conhecimento do desaparecimento do avião da Egyptair que fazia a ligação entre Paris e o Cairo, quero apresentar as minhas mais sinceras condolências aos familiares dos passageiros do voo. Quero também manifestar o meu profundo pesar e solidariedade aos familiares e colegas do cidadão português que ia a bordo, o Engenheiro João David e Silva, que exercia funções na empresa Mota Engil", escreve o chefe de Estado no 'site' oficial da Presidência da República.

O Parlamento também aprovou, por unanimidade, um voto de pesar e solidariedade pelas vítimas da queda do avião.

Para além de cidadãos egípcios e franceses e de outras nacionalidades, lembra o voto de pesar, encontra-se entre as vítimas um cidadão português, quadro de uma empresa de construção e "que desempenhava com grande capacidade e competência as suas funções, representando um extraordinário referencial de qualidade profissional a favor do país".

O voto foi subscrito por todas as bancadas e pelo Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e no final da sua votação os parlamentares prestaram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas.

O Exército egípcio anunciou, esta sexta-feira, que encontrou destroços do aparelho e objetos pessoais de passageiros do voo Paris-Cairo da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo, com 66 pessoas a bordo.

“Aviões e navios do Exército encontraram objetos pessoais dos passageiros e destroços do aparelho a 290 quilómetros a norte de Alexandria”, precisou o Exercito em comunicado.

O aparelho, um Airbus 320, descolou de Paris rumo ao Cairo na noite de quarta-feira, e desapareceu ao início da madrugada ao entrar no espaço aéreo egípcio.

A bordo seguiam 66 passageiros, incluindo um português, sete tripulantes e três agentes da segurança.