A Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura repudiou esta quarta-feira a decisão da TAP de introduzir "uma taxa de agravamento de custos para as viagens" entre a Madeira e o continente, nomeadamente no natal e fim-de-ano.

Em causa está uma sobretaxa de 25 a 100 euros para as reservas a emitir depois de 06 de dezembro, noticiou na segunda-feira o jornal digital PressTUR.

Em comunicado hoje divulgado, a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura (SRETC) refere ter tido "conhecimento" da medida através da comunicação social, tendo solicitado "um pedido de esclarecimento à Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), entidade da qual aguarda uma tomada de posição sobre a matéria".

A secretaria regional refere que a "alteração, que é injustificada e inédita por parte desta companhia, revela uma atitude prepotente, oportunista e inqualificável, que considera inaceitável, na medida em que, para além de desvirtuar o mercado e quebrar a confiança dos consumidores, abre um precedente que pode vir a ter um impacto altamente gravoso para a Região, no futuro".

A secretaria considera, contudo, que, "para já, e considerando o período em que esta taxa deverá ser aplicada, não existirão grandes reflexos para a Madeira, uma vez que grande parte das viagens já foram devidamente adquiridas".