O PS vai pedir ao Tribunal Constitucional a recontagem dos votos das autárquicas em Paredes, depois de a assembleia de apuramento geral ter diminuído, de 73 para 58, a desvantagem socialista face ao PSD.

Alexandre Almeida, cabeça-de-lista do PS à Câmara de Paredes e líder da concelhia, explicou hoje à Lusa que a diminuição da diferença decorre de irregularidades detetadas em duas freguesias, cujos resultados comunicados à tutela, disse, «eram diferentes dos que constavam das atas».

Segundo o dirigente, a assembleia de apuramento geral atribuiu mais 14 votos ao PS e retirou um voto ao PSD, comparativamente ao resultado que foi comunicado, no domingo, à Direção-Geral da Administração Interna.

Com estas mudanças, o PSD manteve-se como o partido mais votado (19.145), mas o PS (19.087) diminuiu a diferença.

Os socialistas acrescentam que a assembleia de apuramento geral detetou outras irregularidades em várias freguesias do concelho.

Apesar disso, o pedido apresentado pelo PS no sentido da recontagem total dos votos foi rejeitado, o que motiva os socialistas no recurso para o Tribunal Constitucional.

Alexandre Almeida considera que, face às irregularidades detetadas, se impõe o esclarecimento de todas as dúvidas.

«Temos argumentos mais do que suficientes», disse, remetendo mais pormenores para um comunicado de imprensa posterior.