O PS defende que as decisões da Comissão Nacional de Eleições (CNE) sobre a cobertura de campanhas eleitorais, que levaram as televisões a reduzir o acompanhamento das próximas autárquicas, «têm prejudicado» o acesso à informação.

«As posições e as decisões da CNE têm prejudicado o acesso à informação. Era importante que houvesse debates e cobertura noticiosa, nesse sentido os eleitores ficam penalizados e temos que lamentar», afirmou, em declarações à agência Lusa, o secretário nacional do PS, Miguel Laranjeiro.

Apesar de considerar que as decisões da CNE «têm prejudicado» o acesso à informação, o PS «não compreende por que é que a RTP, enquanto estação de serviço público, não faz debates, quando uma outra estação (o Porto Canal) e a rádio pública (Antena1) o fazem».

«A RTP tem obrigações específicas de serviço público que deveria cumprir, passando também pela possibilidade dos debates», afirmou Miguel Laranjeiro.

Quanto ao acompanhamento das campanhas, o também deputado admite que «de facto há restrições que limitam a cobertura noticiosa», sublinhando que «o esclarecimento e a apresentação das propostas são absolutamente essenciais para uma decisão o mais esclarecida possível dos eleitores».

O PS concede que a lei possa ser alterada, mas «não é este o momento», no entanto o partido admite «que deva ser equacionada após o período eleitoral».

«Se alteração da lei for necessária para dar uma cobertura noticiosa adequada, necessária e importante para o esclarecimento dos eleitores, o PS equaciona naturalmente essa possibilidade. Mas não é este o momento para fazer essa abordagem», reforçou.