Luís Filipe Menezes escolheu o advogado Amorim Pereira para «número dois e candidato a vice-presidente» na sua lista para a Câmara do Porto, propondo ainda a pintora Mónica Baldaque, da área do CDS, para número três.

O candidato oficial do PSD, que hoje revelou as suas listas para a Câmara e a Assembleia Municipal do Porto, apresentou Amorim Pereira como professor universitário e um «advogado de grande prestígio que já exerceu quase todos os cargos políticos possíveis» dentro do partido.

Quanto a Mónica Baldaque, disse, «é, desde há muitos anos, um rosto de um conservadorismo progressista ligado ao CDS de Freitas do Amaral, de Amaro da Costa e de Basílio Horta».

Filha da escritora Agustina Bessa Luís, a agora candidata também é escritora, foi diretora da Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, apresenta um «percurso de militância e de cidadania» e tem uma estreia ligação ao meio artístico.

A lista de Luís Filipe Menezes para a Assembleia Municipal é encabeçada por José Pedro Aguiar Branco, atual ministro da Defesa e anterior presidente da Assembleia Municipal do Porto.

Segue-se Sílvio Cervan, advogado e ex-presidente da Distrital do Porto do CDS.

A lista inclui ainda dois antigos vereadores de Rui Rio, o advogado Paulo Cutileiro e o historiador Marcelo Mendes Pinto, tendo este último sido então eleito pelo CDS/PP.

O quarto lugar da lista de Luís Filipe Menezes para o executivo municipal é de Ricardo Almeida, presidente de Concelhia do Porto do PSD e da empresa municipal Gaianima, tendo antes sido diretor da empresa municipal Porto Lazer.

O economista e professor universitário Ricardo Valente surge no quinto lugar e, segundo Menezes, «terá como responsabilidade máxima ser o ministro das Finanças desta Câmara».

«Passamos a ter um economista professor, em vez de apostarmos na lógica contabilística na gestão municipal», acrescentou o candidato social-democrata.

O sexto lugar é da advogada Andreia Júnior, atual deputada da Assembleia Municipal do Porto, pelo PSD, e que Menezes disse ser, «tal como Ricardo Almeida», um símbolo da «juventude com experiência, com criatividade e com inovação».

O engenheiro agrónomo Miguel Seabra, que durante oito anos foi no presidente da Junta de Freguesia de Paranhos, aparece no sétimo lugar da lista social-democrata.

Segue-se no oitavo lugar Artur Jorge Basto, do CDS, que foi conselheiro nacional deste partido e, ainda segundo Menezes, «membro da Comissão Política Nacional de Paulo Portas».

O candidato apresentou Artur Jorge Basto como seu «amigo e colaborador de há muitos e um alto quadro do CDS» - partido que, recorde-se, apoia o candidato independente Rui Moreira.

«O Miguel Seabra e o Artur Jorge corporizam para mim uma ambição: a maioria absoluta alargada», salientou Luís Filipe Menezes.

Menezes chamou ainda para a sua lista o presidente da Associação dos Comerciantes do Mercado do Bolhão, Alcino Sousa, que aparece no 11.º lugar.

«Para mim, isto é simbólico. Em 2015, tem que haver Bolhão a funcionar, recuperado e âncora do dinamismo do comércio tradicional e da reabilitação urbana do centro da cidade», afirmou Menezes, acrescentando que este é um «compromisso para cumprir».

O candidato disse ainda ter a seu lado «pessoas de todas as etnias», como o seu «amigo de há muitos anos e líder da comunidade cigana no Poeto e na região».

«Esta governação do Porto Forte vai ser uma governação para todos», referiu.

Além de Menezes, estão na corrida à Câmara do Porto o socialista Manuel Pizarro, o comunista Pedro Carvalho, o bloquista José Soeiro e os independentes Rui Moreira e Nuno Cardoso.