A candidatura Cidadania em Movimento às eleições autárquicas de Braga anunciou esta quarta-feira que pediu a impugnação judicial das candidaturas dos cabeças-de-lista a duas uniões de freguesias do concelho, com base na lei de limitação de mandatos.

Num comunicado enviado à Lusa, a Cidadania em Movimento especificou que em causa estão os cabeças-de-lista das candidaturas apresentadas pela coligação «Juntos por Braga» à União de Freguesias de S. José de S. Lázaro e S. João de Souto e pelo Partido Socialista à União de Freguesias de Nogueira, Fraião e Lamaçães.

«A razão da impugnação decorre de os respetivos cabeças-de-lista terem sido presidentes da junta de freguesia de, respetivamente, S. José de S. Lázaro e Nogueira em, pelo menos, os três últimos mandatos», acrescentou, para sublinhar que considera aquelas candidaturas «violadoras da lei».

A candidatura Cidadania em Movimento diz ainda que a impugnação se dirige, em ambos os casos, a autarcas que não têm apenas três mandatos concluídos, como se candidatam à mesma circunscrição territorial onde os exerceram, agora alargada às freguesias associadas na respetiva união de freguesias.

«Parece, por isso, reforçada a ideia de que existe uma flagrante violação legal», referiu.

A candidatura Cidadania em Movimento assinalou que os destinatários da ação que interpôs pertencem a forças políticas diferentes e que a sua iniciativa não é «um combate político, dado que em qualquer dos casos a continuidade das candidaturas em que é impugnado o respetivo cabeça-de-lista não é posta em questão».

«Não se pretende, portanto, eliminar adversários. Visa-se, outrossim, garantir o cumprimento da lei», concluiu.

As eleições autárquicas decorrem a 29 de setembro.