José Pedro Aguiar Branco, cabeça-de-lista da candidatura de Menezes (PSD/MPT/PPM) à Assembleia Municipal do Porto, afirmou que os partidos devem fazer uma leitura dos resultados autárquicos na cidade, mas salientou que «não há democracia sem partidos».

«Em democracia há quem ganha e quem perde, devemos saudar os vencedores e estar prontos para trabalhar com os vencedores para que o projeto na cidade do Porto tenha uma afirmação também nacional, vivemos na naturalidade da democracia adulta», disse, acrescentando ser preciso «mostrar bem que uma democracia tem que viver com partidos».

Segundo o ministro da Defesa, que falava aos jornalistas à margem de uma visita que fez ao Centro de Inovação e Engenharia (CEiiA), na Maia, «é fundamental que os núcleos dos partidos façam uma leitura destas eleições, porque todos eles baixaram de votação», cita a Lusa.

No seu entender, isto «significa que é necessário ter atenção ao que fazer no que diz respeito às estruturas partidárias, mas é fundamental haver democracia representativa, haver democracia orgânica, haver partidos que façam o papel que lhes compete na democracia».

Lamentando a taxa de abstenção nas eleições de domingo, Aguiar Branco afirmou ser necessário «lutar sempre» contra este fenómeno, porque «custou muito ganhar a democracia».

«Os partidos políticos são os primeiros responsáveis pela qualidade da democracia, para que ela seja atrativa para a sociedade em geral e para as pessoas, é preciso trabalhar pelo reforço da qualidade dos partidos e é isso que cada um deve fazer», sustentou.

As leituras destas autárquicas, disse, «devem ser locais» e não nacionais, devendo ser dado destaque aos «méritos dos candidatos», bem como às «políticas que apresentaram» e suas propostas, que «foram bem ou mal recebidas».

O independente Rui Moreira foi eleito no domingo presidente da Câmara do Porto, obtendo 39,25% dos votos.

Os seus principais adversários eram o socialista Manuel Pizarro, que obteve 22,68% dos votos, e o social-democrata Luís Filipe Menezes, ex-presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, que alcançou 21,06%.