Augusto Santos Silva foi a primeira grande figura a discursar na campanha oficial do PS, já lá vai o segundo dia. Não é cabeça de lista, candidato a nada. Veio apoiar o PS, tendo como alvo o Governo e o "lapso" de Passos Coelho sobre o pagamento antecipado ao FMI, que afinal é apenas o final do prazo de uma obrigação do Tesouro a 10 anos que o Estado tem de pagar a 15 de outubro. 

"Não passou nem uma hora, o gabinete [de Passos Coelho a pedir desculpa aos portugueses. Foi um lapso do senhor primeiro-ministro", começou por dizer num tom irónico.

"Não é nada da dívida de 2011, não é nenhum antecipação de pagamentos. Foi um lapso. O problema é que o Dr. Passos Coelho é um verdadeiro lapsista, um especialista em lapsos".


O ex-ministro socialista recordou o que prometia Passos em 2011, quando concorreu contra Sócrates (que Santos Silva não mencionou) quando disputava as eleições.

"Prometeu-nos a todos que não mexia nos nossos salários. Foi um lapso. Foi um lapso. Prometeu-nos que era só preciso cortar umas gordurinhas do Estado e estava resolvido. Foi um lapso. Lapso após lapso após lapso, após lapso. Tanto lapso que a nós, que somos do norte, cheira mais a aldrabice do que simples erro"


Antes, teve ainda tempo de acusar os membros do Governo de serem um "bando de incompetentes" no que toca à dívida. Acabou pedindo à população para passar uma "guia de marcha" ao atual Governo.