O Partido Socialista (PS) da Marinha Grande, que venceu as eleições autárquicas de setembro sem maioria, acordou a entrega de pelouros à CDU, o segundo partido mais votado no concelho, anunciou hoje a Comissão Política Concelhia socialista.

Segundo informações da Lusa, com este compromisso, os dois vereadores eleitos pela CDU ficarão com as pastas da Ação Social, Educação, Desporto, Saúde, Cultura, Património histórico e cultural, Juventude e tempos livres, Terceira idade e Turismo e geminações.

«Tendo o PS elegido apenas o presidente da câmara e mais um vereador, tínhamos de procurar garantir a estabilidade política na governação da autarquia, pois temos apenas dois eleitos dos sete vereadores que compõem o executivo», referiu o presidente da estrutura concelhia, Augusto Lopes, em conferência de imprensa.

Assim, o PS iniciou negociações com todos os partidos que elegeram um vereador. No caso do PSD, afirmou o autarca, o entendimento «não foi complicado», mas o vereador recusou pelouros «por motivos de natureza pessoal».

«Fizemos um acordo parlamentar, em que priorizámos em conjunto as áreas de intervenção para o concelho», acrescentou.

O compromisso com a CDU foi alcançado após sete reuniões: «Trata-se de um momento histórico para a democracia da nossa terra. O PS e a CDU puseram de parte as suas divergências pessoais e partidárias e colocaram em primeiro lugar os interesses do povo», sublinhou Augusto Lopes.

Segundo o mandatário da candidatura autárquica do PS, Curto Ribeiro, «o processo negocial iniciado com todos os partidos não se encontra encerrado, continuando-se os contactos com

os dois movimentos independentes».

Já o presidente da câmara, Álvaro Pereira, destacou que conta com «todos os partidos» para um trabalho em conjunto «no sentido de proporcionar aos marinhenses tudo aquilo a que têm direito».

O responsável pela Comissão Concelhia da Marinha Grande do PCP, Filipe Andrade, considerou que foi assumido um compromisso «no sentido de assegurar uma gestão autárquica estável e eficaz, de modo a encontrar as melhores soluções de governabilidade para o desenvolvimento sustentado do concelho».

A CDU procurou que a solução encontrada «respeitasse a vontade popular expressa nas urnas», que fosse «exequível e de boas práticas de gestão» e que «projetasse o concelho para níveis elevados de satisfação dos munícipes».

Nas últimas eleições, além dos dois mandatos alcançados pelo PS e pela CDU, cada um, o PSD elegeu um vereador e os independentes do Movimento pela Marinha Mais Concelho outro.