O PSD será o primeiro partido a ser ouvido sexta-feira pelo Presidente da República, seguindo-se as restantes forças políticas com assento parlamentar, da mais votada para a menos votada.

A audiência com os sociais-democratas está marcada para as 09:30, seguindo-se pelas 10:30 o PS e, às 11:30, o BE. O último partido a ser ouvido durante a manhã será o CDS-PP, às 12:30.

À tarde, o primeiro encontro do chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, será com o PCP, às 15:30. Pelas 16:30, Cavaco Silva irá receber o Partido Ecologista Os Verdes, e para as 17:30 está agendada a última audiência, com o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN).

Desde a semana passada, o Presidente da República já recebeu em Belém mais de 20 entidades, na sequência da aprovação a 10 de novembro de uma moção de rejeição ao programa do Governo. A aprovação do documento, com o voto de toda a oposição, implicou a demissão do executivo de coligação PSD/CDS-PP, liderado por Pedro Passos Coelho.

O chefe de Estado começou por ouvir, em nove audiências separadas, as confederações patronais, as associações empresariais e as centrais sindicais. Já esta semana, na quarta-feira, recebeu, em sete audiências separadas, os presidentes dos principais bancos a operar em Portugal e o presidente da Associação Portuguesa de Bancos.

Hoje o chefe de Estado está a receber sete economistas, além do Governador do Banco de Portugal.

Ao todo foram ouvidas 24 entidades pelo Presidente da República.

A audição dos partidos é um passo fundamental para a nomeação do primeiro-ministro. Conforme estabelece o artigo 187.º da Constituição, "o primeiro-ministro é nomeado pelo Presidente da República, ouvidos os partidos representados na Assembleia da República e tendo em conta os resultados eleitorais".