O ex-coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) Pedro Veiga, que se demitiu na semana passada, vai ser ouvido, a pedido da bancada do CDS-PP, no Parlamento, decidiu esta quarta-feira a comissão de Assuntos Constitucionais.

A audição foi votada esta quarta-feira por maioria, com a abstenção do PS, na reunião da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

Chumbada pelos partidos da esquerda (PS, PCP e BE) foi a audição, também proposta pelos centristas, do anterior coordenador do CNCS, almirante Tomás Sobral, que deixou funções há dois anos.

O CDS-PP, através de Vânia Dias da Silva, insistiu hoje na estranheza da demissão de Pedro Veiga, na semana passada, coincidir com o primeiro exercício anual de cibersegurança, realçando que foram invocadas motivos financeiros, ligados ao “à falta de investimento e financiamento nestas matérias”.

Pedro Veiga, considerado um dos pioneiros da Internet em Portugal, professor no Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) e estava à frente do CNCS desde 2016.