A candidata do CDS a Lisboa quer juntar empresas a investigação numa ‘cidade do mar', num município liderante na estratégia azul, com o desporto escolar a dar carta de marinheiro no 12.º ano para formar a "geração oceânica".

A bordo de um catamaran no Tejo, Assunção Cristas explicou aos jornalistas que a coligação "Pela Nossa Lisboa" (CDS-PP/MPT/PPM) defende que os alunos da capital possam, em conjunto com o desporto escolar, praticar um desporto náutico, como canoagem, remo ou vela.

Para que as nossas crianças não fiquem na margem, mas entrem dentro do rio, tenham contacto com a água e, como nos diz a nossa estratégia nacional do mar, queremos que os alunos quando terminem a sua escolaridade obrigatória, quando chegam ao 12.º ano, tenham a hipótese de a terminar com carta de marinheiro", defendeu.

O objetivo é "criar uma geração oceânica" para que "muitos destes jovens possam progredir e encontrar na área do mar uma área interessante para desenvolver as suas atividades".

Queremos criar aqui bons empregos para o futuro, para isso precisamos de qualificar os nossos jovens e a carta de marinheiro é um instrumento diferenciador", sustentou, sublinhando que a economia do mar "é uma economia de futuro, assente numa lógica de sustentabilidade ambiental e económica".

Para Assunção Cristas, "Lisboa tem de ser a líder de tudo o que é inovador na área do mar, seja na área das biotecnologias, seja na área do transporte marítimo, do turismo, do desporto".

Assim, a candidata e líder do CDS quer inscrever no seu programa eleitoral a criação de uma "cidade do mar" na doca de Pedrouços, da administração do Porto de Lisboa, na zona de confluência com o concelho de Oeiras, juntando as federações dos desportos náuticos, empresas e investigação, com ‘start-ups' ligadas ao mar.

Saberei encontrar os parceiros certos, em conjunto com todos porque isto não é uma novidade minha, está na estratégia nacional do mar, trata-se de executar a estratégia nacional do mar, mas ter a Câmara Municipal de Lisboa como um ator liderante", afirmou Assunção Cristas sobre a concretização do projeto, que pretende requalificar o edifício da Doca Pesca.

Nas eleições de 01 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).