O objetivo do CDS-PP para as eleições do dia 1 de outubro é "crescer autarquicamente", assumiu na quarta-feira a presidente do partido, Assunção Cristas, num jantar em Alvaiázere.

Sei do trabalho que se faz de norte a sul do país. Quando perguntam qual é o objetivo nacional do CDS para estas eleições, digo sempre a mesma coisa, é aquela que foi definida por todos em conjunto no congresso do CDS de março de 2016: crescer autarquicamente e crescer ao nível das juntas de freguesia", disse Assunção Cristas na terra da avó paterna, Cabaços, em Alvaiázere, tendo recordado o lugar onde o seu pai "fez a instrução primária" e onde a família foi acolhida depois de regressar de Luanda.

Durante um jantar de apoio ao cabeça de lista do CDS-PP à Câmara de Alvaiázere, Nelson Paulino Silva, a líder centrista afirmou: "se não ganharmos as cinco [freguesias], pelo menos duas ou três haveremos de ganhar, e se não for desta vez essas hão-de ficar para a próxima".

Assunção Cristas acrescentou que noutros casos o objetivo é "ter deputados municipais, noutros é aumentar o número de vereadores ou ter um vereador".

Aqui temos que ter uma ambição maior. Aqui temos de ter a ambição de conquistar a Câmara Municipal de Alvaiázere, de mudar a folha ao livro. Tenham essa ambição, não se conformem", pediu, apelando ao voto, pois o CDS-PP "quer voltar a ter um espaço de intervenção autárquico, quer voltar a servir as populações na sua proximidade como já serviu no passado em tantos concelhos".

Ao considerar que há pessoas com "receio de se assumirem" apoiantes do CDS, "porque há medo das retaliações", Assunção Cristas lembrou que o "voto é secreto".

"Há um dia, que é o dia do exercício da liberdade e da cidadania que é o dia em que todos podem ser consequentes com a exigência de mudança que dizem todos os dias aos nossos candidatos, esse dia é o dia 1 de outubro. O que vos peço é que passem a palavra, que digam às pessoas para não terem medo e digam às pessoas que é preciso mudar", concluiu.