Todas as bancadas parlamentares da Assembleia da República votaram hoje, por unanimidade, votos de pesar pelas vítimas da tragédia das Filipinas, provocada pelo supertufão Haiyan, e lembrando o legado do arquiteto Alcino Soutinho, falecido recentemente.

As autoridades das Filipinas estimam em cerca 5.500 o número provisório de mortos, enquanto os feridos ascendem a 26.136 e os desaparecidos a 1.757, tendo a tempestade afetado 9,9 milhões de pessoas.

Alcino Soutinho, destacado membro da denominada «Escola do Porto» morreu esta semana, aos 83 anos, vítima de cancro.

Os deputados da Assembleia da República aprovaram ainda, também por unanimidade um voto de homenagem às mulheres vítimas de assassínio no contexto de uma relação afetiva.

O voto de saudação apresentado pelo PS, pela celebração do acordo nuclear entre Irão e o chamado grupo dos «cinco mais um», os membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas - Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia, China - e a Alemanha, foi igualmente aprovado, mas registou-se a abstenção do deputado do CDS-PP João Rebelo.

O deputado social-democrata Carlos Abreu Amorim, assim como o grupo parlamentar do PCP, anunciaram ir apresentar declarações de voto sobre a matéria.