A Assembleia da República aprovou, esta terça-feira, por unanimidade um voto de condenação e pesar pelos atentados terroristas de Bruxelas, sublinhando que os ataques não farão imperar o medo ou o preconceito, nem esmorecer a coragem no combate a estes atos.

Estes ataques não farão imperar o medo ou o preconceito, nem esmorecer a coragem no combate ao terrorismo e às suas causas, um esforço persistente que envolve múltiplas dimensões", lê-se no voto subscrito por todas as bancadas parlamentares, que no final da sua leitura fizeram um minuto de silêncio, citado pela Lusa.

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, anunciou que a bandeira do parlamento estará a meia haste.

Fazendo referência ao "verdadeiro cenário de terror" com que esta manhã todos acordaram perante os ataques terroristas no aeroporto e numa estação de metro de Bruxelas, os deputados portugueses dirigiram palavras de solidariedade às famílias das vítimas, bem como ao povo belga.

Uma palavra de conforto neste momento difícil para todos os cidadãos belgas, portugueses e de outras nacionalidades, que residem em Bruxelas", lê-se no voto que foi lido na presença do embaixador belga em Portugal, que assistiu nas galerias às intervenções que os partidos e o Governo fizeram a propósito dos atentados na abertura na sessão plenária.

Sublinhando que Bruxelas é sede das instituições europeias e ponto de encontro de povos, ideias e projetos que para ali convergem, os deputados portugueses recordam que os ataques de hoje surgem na sequência da captura de um dos responsáveis pelos atentados de Paris.

Contudo, acrescentam, "dure o que durar este combate, o que importa é que as sociedades abertas nunca se deixem fechar e se mantenham sempre fiéis aos valores do Estado democrático de direito".

A Assembleia da República, reunida em sessão plenária, expressa assim a sua mais veemente condenação dos atentados terroristas de Bruxelas e o seu mais profundo pesar pelas vítimas", é ainda referido no voto de condenação e pesar.

Pelo menos 34 pessoas morreram e perto de duas centenas ficaram feridas nas três explosões registadas hoje em Bruxelas - duas no aeroporto internacional de Zaventem e uma na estação de metro de Maalbeek, junto às instituições europeias, no centro da capital belga.

O nível de alerta terrorista na Bélgica foi elevado para quatro, o máximo da escala.