O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, mostrou-se este domingo disponível para discutir compromissos que não ponham em causa as condições de vida e de trabalho dos portugueses.

«Nós estamos de acordo com a discussão para compromissos que respondam às necessidades e anseios da maioria e não com compromissos que ponham em causa o nível de vida e as condições de vida e trabalho dos portugueses», disse no final das comemorações oficiais do 5 de outubro, realizadas no salão nobre da Câmara Municipal de Lisboa.

De acordo com a Lusa, Arménio Carlos condenou compromissos que têm sido tomados pelo Governo. O líder da CGTP destacou aqueles que «desequilibram as relações de trabalho, como aconteceu com a legislação laboral, a contratação coletiva« ou com «a pressão que se está a verificar» na segurança social.

No discurso nas comemorações, o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, propôs uma reflexão urgente sobre o regime político português, destinada a encontrar soluções para os problemas de governabilidade.

«É urgente procedermos a uma reflexão séria sobre o regime político português e encontrarmos em conjunto soluções para os problemas que afetam a governabilidade da nossa República», defendeu o chefe de Estado.