António Guterres é o mais desejado pelo PS para candidato presidencial, aquele que aparece em todas as sondagens como o melhor posicionado para suceder a Cavaco Silva, mas António Costa já sabe que não vai poder contar com ele para essa batalha.
 
A TVI sabe que o ex-primeiro-ministro já tomou a sua decisão, e não está disponível para regressar à política ativa. Só mesmo se acontecer algo de imprevisto é que poderá voltar atrás.
 
O ex-primeiro-ministro ainda tem hipóteses de se candidatar com sucesso a secretário-geral das Nações Unidas e é nesse cenário que está a trabalhar.
 
O primeiro sinal público de que o antigo político não vai entrar na luta presidencial é precisamente o facto de ter visto agora prolongado até ao final do ano o mandato como alto-comissário para os refugiados, quando se sabe que as eleições presidenciais acontecerão logo em janeiro.
 
No entanto, não será para já que António Guterres comunicará que não é candidato. A TVI não conseguiu falar com o ex-governante e sabe que o seu silêncio vai manter-se por mais algum tempo, apesar dos socialistas já não acreditarem num retrocesso.
 
Nos últimos meses, com as pressões para ser candidato a Belém a aumentarem, dentro e fora do PS, Guterres foi manifestando cada vez mais reservas ao regresso, e desde o fim do ano que os mais entusiastas foram perdendo a esperança.