António Galamba, candidato à Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS, envolveu esta terça-feira o candidato às primárias socialistas António Costa em acusações de «pagamentos a militantes em massa inscritos na mesma morada» naquela estrutura.

«Na FAUL há militantes com medo em participar, há pagamentos a militantes em massa inscritos na mesma morada e bloqueios ao pluralismo, mas sobre isso o Dr. António Costa nada diz porque lhe convém politicamente», afirmou António Galamba, candidato àquela federação nas eleições de sexta-feira, secretário nacional do partido e apoiante de António José Seguro nas eleições primárias.

Contactado pela Lusa, o recandidato à liderança da FAUL, Marcos Perestrello, que apoia António Costa, disse não querer responder às acusações, justificando querer «proteger o PS de falsas dramatizações que só prejudicam o partido».

«Faço campanha eleitoral pela positiva, afirmando um projeto e propostas políticas para fortalecer o PS e não levantando calúnias e falsidades em desespero de causa», acrescentou, escusando-se a fazer mais comentários.

Num comunicado de António Galamba com o título «as 'golpadas democráticas' com que o Dr. António Costa se conforma», lê-se que o autarca de Lisboa «conforma-se com a existência de várias estruturas com mais de cinco militantes com nomes diferentes na mesma residência, sem serem familiares, na secção de Lisboa Oriental, em Santo António dos Cavaleiros, na Pontinha, em Lousa, nos Olivais, em Odivelas, na Póvoa de Santo Adrião, no Olival de Basto, em Moscavide, em Sacavém, havendo mesmo um caso de 17 militantes no mesmo domicílio».

"Conforma-se com o pagamento massivo de quotas de militantes sem participação política regular por responsáveis de estruturas sem se preocupar com a origem do dinheiro. Convive bem com a existência de militantes que estão na posse das quotas de militantes que estão domiciliados na sua residência mas não moram nessa localização", afirma Galamba.

O candidato à FAUL que apoia Seguro diz ainda que Costa «convive bem com o facto da candidatura de Marcos Perestrello enviar toda a comunicação eleitoral com os militantes a partir de um IP e um servidor oficial do PS/FAUL» e que o presidente da Câmara da capital «deve ignorar que há Juntas de Freguesia de Lisboa, em que durante a noite, como que por magia, surgem nos balcões internos de atendimento à população fichas de inscrição como simpatizante».

António Galamba afirma que António Costa «convive bem com a existência de centenas de militantes em 'regime de militância mortos-vivos'», que «não têm participação política regular, só regressam à participação nos momentos eleitorais, depois de lhes pagarem as quotas».

«Deve ignorar que há Juntas de Freguesia de Lisboa em que são efetuadas contratações de pessoas com objetivos eleitorais partidários e há casos de modelação do comportamento da gestão autárquica em função das opções partidárias dos cidadãos militantes ou dos seus clientes», declarou.

«O Dr. António Costa indigna-se com o mundo fora de Lisboa, mas é sempre surpreendido pela realidade e pela gestão à sua porta. Agora que descobriu o país e o mundo era bom que não esquecesse a realidade de falta de cultura democrática da atual maioria de que faz parte na FAUL», afirmou, considerando que se trata de «uma maioria arrogante e prepotente que não olha a meios para atingir os fins».

As eleições para as federações do PS realizam-se sexta-feira e sábado e as primárias para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro estão marcadas para 28 de setembro, numa disputa entre o atual secretário-geral, António José Seguro, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa.