O dirigente socialista António Galamba afirmou, esta quinta-feira, que são do domínio da «falta de vergonha» as declarações proferidas pelo ministro Poiares Maduro de que a emigração não deve acontecer por falta de oportunidades em Portugal.

No encerramento de uma conferência sobre migrações organizada pela Faculdade de Direito da Universidade Católica de Lisboa, o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional considerou que um dos problemas mais sérios de Portugal é o «inverno demográfico» e acrescentou que a emigração por falta de oportunidades de emprego não deve acontecer.

«Essas declarações do ministro Poiares Maduro são do domínio da falta de vergonha. O senhor ministro Poiares Maduro faz parte de um governo que sugeriu que os jovens portugueses saíssem da sua zona de conforto para procurar oportunidades no estrangeiro», reagiu António Galamba, membro do Secretariado Nacional do PS, em declarações à agência Lusa.

António Galamba considerou em seguida que Poiares Maduro «aderiu ao registo de carpideira que o Governo agora resolveu adotar: Ora remete alterações à receita de austeridade excessiva para o futuro, ora lamenta (apenas nos discursos) as suas consequências».

«O ministro Poiares Maduro faz parte de um Governo que acaba de concretizar um corte brutal nas bolsas de investigação científica, indicando a porta de saída do país para milhares de jovens qualificados», apontou o dirigente socialista.

Na mesma conferência, o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional defendeu a tese que o país tem tudo a ganhar em políticas ativas de atração de estudantes estrangeiros e adiantou ser entendimento do Governo que «uma política inteligente de imigração, atraindo, por exemplo empresários, pode ajudar a criar oportunidades em falta».

Esta posição de Poiares Maduro foi também criticada por António Galamba, classificando-a como «uma ideia peregrina». «O senhor ministro lançou agora a ideia peregrina de, no quadro da política de migração, desenvolver uma estratégia para a captação de talentos. Isto é, o Governo conforma-se ou chora lágrimas de crocodilo com a emigração dos nossos jovens talentos, mas quer captar os jovens de outros países», referiu o membro do Secretariado Nacional do PS.

António Galamba sustentou depois que o atual Governo é o mesmo que «aponta a emigração como solução para a falta de oportunidades e para o desemprego e que, simultaneamente, desmantela a estrutura consular que presta apoio às comunidades portugueses residentes fora do território nacional».

«Se não fossem lamentáveis, as declarações do ministro Poiares Maduro eram uma anedota», acrescentou o dirigente socialista.