O primeiro-ministro assegurou esta quarta-feira que o seu Governo está confiante e determinado em levar a esperança ao país, num breve discurso em São Bento após um grupo de Vila Nova Gaia lhe ter cantado as Janeiras.

Esta garantia foi dada depois do Rancho Folclórico Danças e Cantares de Santa Maria do Olival ter tocado três músicas e antes da delegação de Vila Nova de Gaia, liderada pelo presidente da Câmara, Eduardo Vítor Rodrigues, ter oferecido a António Costa uma garrafa de vinho do Porto e uma broa de Avintes.

Tendo ao seu lado a ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, e a secretária de Estado Adjunta, Mariana Vieira da Silva, o líder do executivo, que esteve sempre sorridente, considerou importante a manutenção da tradição das Janeiras, assim como a preservação dos grupos folclóricos "que vão dando vida às raízes da cultura popular".

"Neste Dia de Reis celebramos a esperança que o ano novo traz, mas também aquilo que é o dever de solidariedade e da partilha. A partilha deve ser encarada como a razão de ser pela qual estamos no mundo e pela qual devemos todos os dias trabalhar em prol dos que mais necessitam. É com base na partilha que podemos em conjunto reforçar a esperança que temos de ter no futuro", declarou o primeiro-ministro.


Numa mensagem mais política, António Costa disse depois de que do lado do Governo "há confiança, determinação e muita vontade de que a esperança possa crescer no país e ser partilhada por todos".

"Sabemos que o mundo não se torna cor-de-rosa de um dia para o outro, mas também sabemos que é com as nossas mãos, com a nossa inteligência que podemos construir um mundo com mais esperança", referiu.


Depois, Costa dirigiu-se especificamente ao grupo de cantares de Vila Nova de Gaia, citando um provérbio popular: "Quem canta seus males espanta e, por isso, o vosso cantar já muitos males espantou".

Devido ao tempo de chuva, ao contrário de anos anteriores, as tradicionais Janeiras foram desta vez cantadas na ampla sala de audiências e não nos jardins da residência oficial do primeiro-ministro em São Bento.

Também num breve discurso, o presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia salientou a importância para o país que "o senhor primeiro-ministro tenha um grande ano de 2016".

"Viemos de Vila Nova de Gaia para lhe trazer a motivação de quem tem canções de alegria, mas também a força e a pertinácia de quem vem da zona do granito, do vinho e da poesia. Deixamos uma mensagem de entusiasmo, alegria e de força, porque os portugueses precisam muito de força e da qualidade do trabalho do Governo", declarou Eduardo Vítor Rodrigues.