"Neste Dia de Reis celebramos a esperança que o ano novo traz, mas também aquilo que é o dever de solidariedade e da partilha. A partilha deve ser encarada como a razão de ser pela qual estamos no mundo e pela qual devemos todos os dias trabalhar em prol dos que mais necessitam. É com base na partilha que podemos em conjunto reforçar a esperança que temos de ter no futuro", declarou o primeiro-ministro.


"Sabemos que o mundo não se torna cor-de-rosa de um dia para o outro, mas também sabemos que é com as nossas mãos, com a nossa inteligência que podemos construir um mundo com mais esperança", referiu.