O PSD na Assembleia Municipal de Lisboa vai apresentar, esta terça-feira, uma moção em que questiona o presidente da câmara sobre a compatibilidade desta função com a liderança do PS, disse o líder do grupo municipal social-democrata, Sérgio de Azevedo

«O que vamos apresentar na moção é algum desconforto sobre aquilo que o Dr. António Costa disse e pretende fazer que é candidatar-se» à liderança do PS, disse esta terça-feira à agência Lusa Sérgio de Azevedo.

«Não pomos isso em causa, perguntamos é se ele ainda tem a ideia que tinha em 2011 e 2013, que aliás serviu de desculpa na altura para não ser candidato a secretário-geral do PS, de que era incompatível ser líder do PS e presidente da Câmara», acrescentou.

O documento será esta terça-feira levado à Assembleia Municipal de Lisboa, de acordo com o deputado, segundo o qual António Costa será questionado se «entende que o executivo tem legitimidade para executar o seu programa se ele sair».

Sérgio de Azevedo relembrou que há 251 dias foi assumido um «contrato» entre António Costa e mais de 50% dos eleitores lisboetas, colocando em causa se o autarca «se candidatou a Lisboa, ou não, a pensar noutro destino».

Na moção a que a Lusa teve acesso, lê-se que «Lisboa tem por isso, desde as últimas eleições europeias, um presidente a prazo», facto que «o PSD não aceita».

No mesmo documento, assinado por Sérgio de Azevedo, é indicado que «pouco ou nada do ambicioso programa de António Costa para a cidade foi cumprido», visto que «não há definição quanto à gestão de transportes», ou quanto à «reabilitação urbana na cidade», assim como não se verificam «melhorias na limpeza urbana da cidade nem no repavimento das ruas».

«Em 251 dias (e 6 anos) de mandato apenas se confirmou a transferência de competências para as juntas de freguesia, graças à boa vontade dos presidentes das 24 Juntas de Freguesia, apesar dos inúmeros percalços e discrepâncias que se verificaram», pode ainda ler-se na moção.

António Costa anunciou após as eleições europeias que está disponível para liderar o Partido Socialista.