Os deputados do PSD e CDS vão apresentar um requerimento para pedir ao Primeiro-Ministro, António Costa, que divulgue a carta que enviou ao presidente da Comissão Europeia para contestar a aplicação de sanções ao país.

A posição das bancadas parlamentares da oposição foi anunciada após a reunião da comissão parlamentar de Assuntos Europeus, em que foi ouvida a secretária de Estado da tutela, Margarida Marques, que afirmou aos deputados que transmitirá ao gabinete de António Costa "o interesse de alguns deputados" em conhecer a carta enviada a Jean-Claude Juncker.

"O PSD e o CDS-PP vão entregar esta quarta-feira um requerimento a pedir acesso à carta que o Governo português anunciou, via imprensa, ter enviado à Comissão Europeia", disse aos jornalistas, no final da reunião, o deputado social-democrata Duarte Marques.

Também Pedro Mota Soares declarou que o CDS "considera muito importante saber o que é que o primeiro-ministro escreveu à Comissão Europeia", nomeadamente qual é o valor do défice para 2016 "com que se compromete agora".

Segundo o deputado democrata-cristão, na carta, António Costa aponta um défice de 2,5% para este ano, "o que contraria totalmente todos os dados que o Governo tem andado a divulgar, de 2,2%".

Durante a reunião da comissão de Assuntos Europeus, perante os pedidos da oposição para a divulgação da carta, o deputado socialista Vitalino Canas mostrou-se contra, afirmando que "é uma carta que foi remetida à Comissão Europeia para tratar de um assunto sério para Portugal e não é para ser colocada no domínio público".