As candidaturas de António José Seguro e de António Costa já têm um entendimento sobre os três nomes com direito a voto que integrarão a comissão eleitoral das primárias para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro.

Fontes das duas candidaturas disseram à agência Lusa que os três nomes com direito a voto da futura comissão eleitoral das primárias de 28 de setembro - órgão presidido pelo ex-ministro Jorge Coelho - serão hoje alvo de um consenso amplo na reunião da Comissão Política Nacional do PS.

Após as candidaturas de Seguro e Costa terem chegado a um consenso sobre a designação de Jorge Coelho para liderar o órgão que vai tutelar o processo de eleições primárias, o próprio Jorge Coelho iniciou depois uma série de consultas entre as duas partes para que houvesse também um acordo em relação aos dois restantes nomes com direito a voto na comissão eleitoral das primárias.

A estes três nomes, de acordo com o regulamento das primárias, as candidaturas indicarão um seu representante para a comissão eleitoral, embora sem direito a voto.

Face a esta perspetiva de entendimento, fontes das duas candidaturas admitem que a reunião de hoje da Comissão Política Nacional do PS seja rápida e bem menos tensa politicamente do que a anterior, que se prolongou por mais de cinco horas e que acabou sem consenso na aprovação do regulamento das eleições primárias.

As candidaturas de António José Seguro e de António Costa chegaram ainda a consenso sobre a contratação da empresa "Nova Base" para auditar externamente o processo de eleições primárias do PS.

Quer da parte dos apoiantes do secretário-geral do PS, quer da parte dos apoiantes do presidente da Câmara de Lisboa, refere-se que a montagem de uma nova base de dados, com muitos milhares de nomes a incluir nos futuros cadernos eleitorais das primárias (militantes e simpatizantes), tem de oferecer garantias de suporte e de segurança informática contra eventuais ataques externos.