"Teremos uma campanha sóbria, mas com alegria e confiança no futuro de Portugal, apostando no esclarecimento cabal das eleitoras e dos eleitores. Para tal, iremos motivar muitas iniciativas de rua que envolvam todo o Partido e todos os candidatos. Será pelo contacto directo com o maior número de pessoas que reforçaremos o apoio ao PS", lê-se num ‘post' publicado por Duarte Cordeiro na sua página na rede social Facebook.

Duarte Cordeiro, que foi designado no domingo pelo secretário-geral do PS como novo diretor de campanha na sequência da demissão de Ascenso Simões do cargo, depois das polémicas em torno dos ‘outdoors’ dos socialistas, começa o ‘post' explicando que aceitou o convite de António Costa "com o sentido de missão de quem tem a noção de que estas eleições são absolutamente decisivas para o futuro do país".

"As candidatas e os candidatos do PS - pela sua grande renovação, diversidade e qualidade - são uma garantia de que todo o PS está preparado para os desafios que o futuro nos coloca", sublinha.

"É o nosso cabeça de lista em Vila Real e tenho a certeza que nos permitirá aspirar a um excelente resultado", acrescenta.

Duarte Cordeiro, que é vice-presidente da câmara de Lisboa e será substituído no cargo durante o período de campanha, com o presidente da autarquia, Fernando Medina, a assumir os pelouros que tinha, termina a mensagem no facebook pedindo aos socialistas que se envolvam na campanha e frisando que "todo o PS é importante e determinante neste combate".

A agência Lusa tentou contactar o novo diretor de campanha do PS, mas tal não foi possível até ao final da manhã.

Para esta manhã chegou a estar agendada uma conferência de imprensa de Ascenso Simões para apresentar o jornal de campanha de praia, abertura redes sociais e novos cartazes, mas a iniciativa foi cancelada no domingo.

O primeiro ‘outdoor' do PS a gerar controvérsia falava em "tempo de confiança e foi motivo de críticas e montagens nas redes sociais.

Na semana passada, foram conhecidos novos cartazes ilustrando histórias de desemprego e, também esses acabaram por levantar polémica.

Num dos casos, porque o cartaz realçava uma mulher que tinha perdido o emprego durante o último Governo de José Sócrates, noutro, porque as pessoas que aparecem nos ‘outdoors' afirmam não terem dado autorização para a sua cara ser usada naquela campanha, acrescentando que as histórias a que são associados não correspondem à verdade, segundo noticiou o Observador.

Na sexta-feira, o PS já tinha pedido desculpas públicas às pessoas envolvidas nos cartazes do partido e "solicitou esclarecimentos pormenorizados aos fornecedores e prestadores de serviços, bem como todas as informações necessárias a que se possa avaliar o procedimento seguido".