Notícia Atualizada

O dirigente socialista António Costa anunciou este sábado que apresentará uma proposta para a realização de um congresso extraordinário, num sinal de demarcação da intenção de António José Seguro realizar primárias para a escolha do candidato a primeiro-ministro.

De acordo com fonte da candidatura do presidente da Câmara de Lisboa à liderança do PS, esta posição foi assumida por António Costa, perante a Comissão Nacional, na sequência da intervenção do secretário-geral, António José Seguro.

Seguro disse que não se demitia da liderança do partido e que convocaria eleições primárias para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro, mas António Costa insistiu na realização de eleições diretas para a escolha do secretário-geral e de um congresso extraordinário do PS.

Demarcando-se da ideia de primárias proposta por António José Seguro, António Costa frisou que os estatutos em vigor não permitem essa solução e referiu que o próprio secretário-geral, por duas vezes, chumbou projetos a favor de primárias abertas a simpatizantes.

António Costa, segundo fonte da sua candidatura, recusou também uma ideia de «liderança bicéfala», em que existia um líder do partido e um outro dirigente que era candidato a primeiro-ministro em eleições legislativas.

Em termos políticos, o presidente da Câmara de Lisboa acentuou que o PS «não é alternativa a fenómenos de populismo (numa alusão ao ex-bastonário da Ordem dos Advogados Marinho e Pinto), mas como alternativa à direita PSD/CDS».

«Não podemos viver num regime em que a esperança são as decisões do Tribunal Constitucional», referiu ainda António Costa na sua intervenção.