Delegações do PS, do Bloco de Esquerda e do PCP prosseguem esta quinta e sexta-feira as conversas técnicas para procura de uma alternativa de governação à esquerda, disseram à Lusa fontes ligadas às negociações.

As mesmas fontes adiantaram que estas negociações se vão manter longe da comunicação social.

Em Bruxelas, o secretário-geral do PS, António Costa, e a porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, contactam hoje dirigentes europeus.

Em Lisboa, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, apresenta o candidato presidencial apoiado pelos comunistas, Edgar Silva.

Os contactos de membros das delegações negociais do PS, hoje com BE e PCP, têm tido lugar nas sedes das diversas forças políticas e também em gabinetes no parlamento.

O segundo encontro entre a comitiva socialista e "Os Verdes" deu-se na quarta-feira à tarde, na Assembleia da República, tendo ficado por agendar um eventual terceiro encontro, provavelmente para sexta-feira, enquanto uma segunda reunião entre PS e PAN (Pessoas, Animais e Natureza) continua por combinar, segundo fontes ligadas às negociações, as quais "decorrem diariamente".

Entretanto, a Presidência da República já marcou para terça e quarta-feira da próxima semana as audições aos partidos com assento parlamentar e Cavaco Silva fez notar, em comunicado, que transmitirá diretamente aos portugueses, ou através da sua Casa Civil, as decisões políticas que vier a tomar.

A coligação PSD/CDS-PP é a força política mais votada com 38,57% dos votos e com 107 mandatos, depois de apurados os resultados nos consulados, na quarta-feira.

O PS foi o segundo partido mais votado com 32,31% e 86 mandatos seguido do Bloco de Esquerda com 19 mandatos e 10,19% dos votos e da coligação CDU, que junta PCP e PEV, com 17 mandatos e 8,25%. O PAN obteve um 1,39% dos votos, conseguindo pela primeira vez a eleição de um deputado.