O secretário-geral do PS, António Costa transmitiu, esta quarta-feira, uma mensgaem de "confiança e alento" à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), no dia em que se inicia a época crítica dos incêndios florestais. O líder socialista, que visitou a ANPC em Carnaxide, disse que reconhece as dificuldades em torno da gestão dos meios, sustentando que quando o verão corre bem diz-se que os meios foram em excesso e quando corre mal que pecaram por defeito.

"Quando o verão corre bem, diz-se que os meios foram em excesso, quando corre mal pecaram por defeito. [...] A Autoridade Nacional da Proteção Civil deve merecer a confiança dos portugueses pela sua competência técnica e pela avaliação no planeamento do dispositivo."


António Costa lembrou que "um Portugal sem fogos depende de todos" e, por isso, deixou um apelo aos portugueses, no sentido de adotarem um "comportamento cívico exemplar", que não ponha em perigo "um bem fundamental que é a floresta".

Esta quarta-feira arranca a época mais crítica no que respeita aos incêndios florestais, a fase "Charlie", com um reforço dos meios de combate, mas com menos quatro helicópteros pesados do que inicialmente previsto.

Durante este período, que se prolonga até 30 de setembro, vão estar operacionais 2.234 equipas das diferentes forças envolvidas, 9.721 operacionais e 2.050 veículos, além dos 236 postos de vigia da responsabilidade da GNR, segundo o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais, citado pela Lusa.

Num dia em que a crise da Grécia está no centro das atenções um pouco por todo o mundo, António Costa recusou reagir às últimas informações que dão conta que Atenas cedeu e prepara-se para aceitar a proposta dos credores que estava em cima da mesa no passado fim de semana.

O líder socialista não falou da Grécia nem do caso Sócrates, depois de o ex-primeiro-ministro ter afirmado, numa entrevista ao "Diário de Notícias" e à TSF, que a sua prisão tinha como objetivo impedir que o PS ganhe as eleições legislativas.

"Vim aqui exclusivamente para falar sobre a nossa proteção civil, sobre a prevenção dos incêndios florestais e transmitir uma mensagem de grande alento e confiança em todo o dispositivo da proteção civil."