O primeiro-ministro, António Costa, declarou hoje em Cabo Verde que Portugal está disponível para “assegurar todo o apoio humano, técnico e financeiro” à realização das eleições legislativas na Guiné-Bissau, como pediu o Presidente guineense.

Tive oportunidade de, ainda há poucas semanas, receber o senhor primeiro-ministro da Guiné-Bissau para assegurar todo o apoio humano, técnico, financeiro, de Portugal à realização das eleições no próximo dia 18 de novembro”, afirmou hoje o primeiro-ministro português, à margem da abertura da XII conferência de chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorre entre hoje e quarta-feira em Santa Maria, na ilha do Sal.

Hoje, o chefe do Governo português reuniu-se com o Presidente guineense, a quem reafirmou a posição portuguesa.

“Já tivemos uma missão técnica na Guiné-Bissau, acho que estão criadas todas as condições para que as eleições possam realizar-se com toda a transparência no dia 18 de novembro, que é a data fixada”, sustentou.

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, disse esta segunda-feira que faltam ao país cerca de 3,5 milhões de dólares (três milhões de euros) para fechar o orçamento para a realização das eleições legislativas marcadas para 18 de novembro.

"Estamos aqui para informar os nossos pares sobre a situação da Guiné-Bissau. Dia 18 de novembro estão marcadas as eleições legislativas e estamos a enfrentar algumas dificuldades neste momento", disse José Mário Vaz à chegada hoje a Santa Maria.

José Mário Vaz disse que a Guiné-Bissau pretende "pedir o apoio dos pares" para colmatar "a brecha que ainda existe a nível do orçamento" para a realização das eleições.

A Guiné-Bissau vive uma crise política há mais de dois anos e os líderes políticos do país não têm conseguido chegar a consenso para a ultrapassar. No final de janeiro, o Presidente guineense nomeou o sexto primeiro-ministro desde as eleições legislativas de 2014.

As eleições legislativas estão marcadas para 18 de novembro.

Cabo Verde assume na cimeira do Sal, que decorre hoje e quarta-feira, a presidência rotativa por dois anos da CPLP sob o lema: Cultura, Pessoas e Oceanos.