O candidato à Presidência da República Paulo Morais pediu esta terça-feira a António Costa, primeiro-ministro indigitado por Cavaco Silva, que "apresente com celeridade" um Governo "com personalidades idóneas e desligadas de interesses económicos". Os nomes dos ministeriáveis, de resto, já são conhecidos. 

A indigitação de António Costa é medida que "tem o necessário enquadramento constitucional", na opinião do candidato a Belém. 

Considera ainda Paulo Morais, em comunicado, que enquanto primeiro-ministro o líder do PS "deve pedir aos seus deputados que abandonem as funções privadas que exercem, em conflito de interesses, com a função parlamentar", cita a Lusa.

Paulo Morais, dirigente da associação não-governamental Transparência e Integridade, diz ainda esperar a aprovação de um programa de Governo "consentâneo com os compromissos eleitorais assumidos".

O candidato refere ainda que espera que seja apresentado "o quanto antes", o Orçamento do Estado para 2016.

"Espera-se ainda que este documento acabe com os privilégios dos quais alguns grupos económicos têm beneficiado nos últimos dez anos, nomeadamente, com as rendas milionárias pagas às parcerias público-privadas e com os benefícios fiscais aos promotores imobiliários, introduzidos pelo último governo socialista e mantidos nos últimos anos", conclui.