O candidato às primárias do PS António Costa disse este domingo que o país «está paralisado na incerteza» e exemplificou com a criação do Novo Banco, onde passadas poucas semanas a nova administração demitiu-se.

«Ainda há poucas semanas o Governo tinha anunciado uma grande medida para a salvação do sistema bancário que era a criação do Novo Banco. Passaram poucas semanas e a nova administração do Novo Banco já se demitiu», afirmou hoje António Costa em Castelo Branco.

«Estamos de novo numa enorme incerteza do que vai acontecer ao Novo Banco, ao impacto que vai ter nos outros bancos e, sobretudo, ao impacto que vai ter na economia real e no financiamento às empresas no conjunto do país», adiantou.

António Costa referiu que nas últimas semanas, «temos observado que cada iniciativa do Governo se traduz em trapalhadas e em agravar o estado da incerteza».

O socialista recordou ainda o anúncio da chamada reforma do mapa judiciário.

«Já havia muitas boas razões para criticar esta reforma pelo que ela representa de privar territórios e populações de um bem fundamental que é a justiça», disse.

«O que verificamos é que ela [reforma] conduziu a esta coisa impensável que é estarmos há mais de uma semana com todo o sistema de justiça paralisado porque está bloqueado o sistema informático».

António Costa sublinhou que uma semana depois, «o Governo ainda não é capaz de dizer quando é que o sistema volta a funcionar» e a justiça volta a cumprir a sua função.