Chegou a hora do "desafio" de melhorar a vida dos portugueses. A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, reagiu com entusiasmo ao "novo ciclo" que entende que o país inicia, com a indigitação de António Costa para primeiro-ministro, decisão tomada esta terça-feira pelo Presidente da República. 

"O grande desafio começa agora. Pela parte do BE seremos a garantia e o compromisso pelos salários e pensões, segurança social, saúde e educação. Haveremos de ter um país um pouco mais justo"


Cavaco Silva "finalmente" indigitou Costa e "respeita" com essa decisão a "maioria existente na Assembleia da República", notou Catarina Martins.

Ao mesmo tempo, reconheceu que há "condições de estabilidade no compromisso que foi alcançado" entre o PS e as várias forças políticas à esquerda.

"Perdemos tempos mas não andámos a perder tempo", acrescentou a porta-voz do Bloco, que afiança que no "compasso de espera" das últimas semanas houve o acentuar de discussões técnicas para consolidar o compromisso para a governação do executivo liderado pelo PS.

"Descongelar pensões, aumentar SMN, parar privatizações, combater precariedade estão no centro do compromisso maioritário" da esquerda, garantiu. 

A porta-voz do BE escusou-se ainda a comentar ao detalhe os nomes que vão sendo avançados como eventuais ministros do governo socialista, advogando que o Bloco empenhou-se no acordo com o PS num entendimento sobre "compromissos políticos e não sobre titulares das pastas".