O primeiro-ministro, António Costa, avisou hoje que investir na qualificação é a forma de proteger o futuro e evitar que um dia os robots substituam as pessoas na execução do trabalho menos qualificado.

"Para a proteção do nosso futuro é necessário investir na qualificação porque qualificados temos hipótese de controlar os robots que vão substituir o trabalho menos qualificado, não nos qualificando arriscamos um dia a ser substituídos pelos robots", alertou António Costa, em Braga, numa intervenção na cerimónia de inauguração de um novo centro tecnológico.

Para o líder do executivo, a "luta é simples" e o resultado tem que ser claro: "nós temos que ganhar aos robots e a forma de ganhar aos robots é sermos nós a controlarmos os robots e não nos colocarmos na situação de sermos controlados pelos robots", disse.

O líder do executivo participou depois na cerimónia de encerramento do congresso que assinalou os 25 anos do Eixo-Atlântico, na qual afirmou que o futuro da Europa está em aberto, "mais ainda depois da noite passada", numa referência implícita às eleições legislativas no Reino Unido.

Desde a noite passada ainda mais aberto está o futuro da Europa e é uma grande oportunidade para que cidades, regiões países, se empenhem para que este sonho que motivou autarcas não seja um sonho que se perca, seja um sonho que possa ter tradução nos próximos anos", disse.