António Costa reagiu esta terça-feira à sondagem diária da Intercampus para a TVI, TSF e Público, a partir de Viseu, no Fórum TSF. Relativizou o avanço de três pontos percentuais da coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP) em relação ao PS, mas mostrou-se preocupado com o grande número de indecisos quando faltam menos de duas semanas para as eleições. 

O líder socialista constatou que nenhuma das forças políticas conseguiu ultrapassar nas sondagens o empate técnico. "Acho que não é significativa a variação, no essencial as sondagens têm estado relativamente estáveis", relativizou. 

Mas registou o  "elevadíssimo número de indecisos" que as sondagens dizem existir. Ainda assim,  não é a perceção que tem tido nas ruas:  "Entre a minha sondagem diária nos contactos de rua e as sondagens que têm vindo a ser publicadas, registo um contraste significativo. Eu diria que entre o número de indecisõ".

Costa reforçou que há "discrepâncias várias", no seu entender. Quer "motivos técnicos", até porque as sondagens têm margens de erro, quer por poder estar em causa "uma estratégia de reação por parte do eleitor, que não quer identificar numa sondagem o seu sentido de voto".

"Continuo nesta campanha com a mesma tranquilidade desde o início. há uma enorme vontade de rejeição do atual governo e das suas políticas".

Depois de uma maratona pelo Interior Norte do país, a caravana socialista chegou a Viseu na noite de segunda-feira.

Hoje, terça-feira, tem marcado um contacto com a população no centro da cidade, um almoço com apoiantes, uma visita a uma empresa de têxteis em Carregal do Sal, outra em Santa Comba e, por fim, um comício na cidade conhecida por Cavaquistão, onde o PSD sempre ganhou com larga vantagem nas eleições. Nas eleições de 2011, 48.8%.