Se ontem usou três adjetivos para pedir maioria sem, no entanto, usar o superlativo, hoje fê-lo, quando interpelado:

"Não não é para não haver variantes para qualquer adjetivo. Uma maioria clara, inequívova, maioritária. Uma maioria absoluta é o que o PS precisa, é o que o país precisa"

Sobre a manchete do Expresso, que diz que o líder socialista não deixará passar um programa de governo da direita, no Parlamento, Costa fugiu à resposta, colocando como único cenário a vitória do seu partido.

"Vamos viabilizar o governo que vai existir, que é o governo do Partido Socialista"

Antes, num palco montado numa carrinha, aludiu ao slogan que também já circula pelos cartazes, nas ruas, ao dizer que "votar é decidir". Nesse apelo ao voto, disse que com o dele o país já conta. 

Ainda lhe perguntaram se não ia ao mercado, mas Costa respondeu que esteve lá no último ano e um membro da comitiva acrescentou: "Há uma agenda a cumprir".