“O diagnóstico não é ter ciência a mais. Não temos excesso de doutorados, mas falta de empregos qualificados. O problema ainda está no tecido empresarial e tem de haver grande esforço na qualificação das empresas”, disse, considerando fundamental concentrar os instrumentos das políticas de emprego num programa de emprego nas empresas.